Pós-Zumbis(6)

 PARA LER OS ANTERIORES CLIQUE AQUI!

“Em um mundo onde a gasolina custava quase quatro reais...”

            “Dirigir o carro mesmo não sendo maior de idade era o máximo”. Fronrel tinha duas opções: Ir à casa do Japonês e, de lá, ir para a casa do Monquei ou ir atrás de uma cafeteria bem cara para tomar um Cappuccino, provavelmente o último que tomaria na vida. Não havia objeções quanto a isso no Protocolo. “Well, vou atrás do Cappuccino”. Eram 11 horas da noite. “Onde raios vou achar uma cafeteria aberta a essa hora?”
            Depois de andar exaustivamente pela cidade, desviando de alguns zumbis, ele achou uma cafeteria aberta.
            Fronrel: Boa Noite. Gostaria de um Cappuccino Extra Mega Ultra Supra Big + Tudo que tiver de adicional. Por Favor.
            Garçonete estranha: Ok. É pra já. Sua guia
            Fronrel: Oo. ¬¬. òÓ 10 Reais? U.U . Ok, foda-se.
            Após tomar seu Cappuccino, Fronrel se dirigiu ao caixa para acertar a conta.
            Fronrel:Aqui, a conta e o dinheiro.
            Uma moeda caiu da sua mão nesse exato momento e ele se abaixou para pegá-la, abaixou no exato instante em que atendente iria voar em cima dele.
            Fronrel: HÁ! Sefodel!
          Fronrel saiu correndo do estabelecimento, pegou seu carro e seguiu viagem. Era Meia-noite.  Abriu a folha amassada de guardanapo que tinha no bolso. O Protocolo

            Protocolo – Diretriz 2: É fundamental ter um armamento eficiente e que não necessite de muita recarga, pois esta, fatalmente, irá acabar um dia.

            Well. Ele sabia aonde encontrar isso: no ATACADISTA. O Atacadista era um hipermercado do inferno, uma vez lá dentro diziam que era impossível sair, de tão grande que ele era. Fronrel teria que correr esse risco.
            Entrou e pegou um carro de compras. Taco de Basebol, Par Extra de Macboots, uma Toalha, um facão, um Livro de Química( Essa era uma arma bastante perigosa).
            Fronrel: UOW!!!!
            Fronrel mal conseguia acreditar no que estava diante de seus olhos. UMA KATANA! Ele sempre quis matar zumbis com uma Katana. “Não sei por que, mas tenho um mal pressentimento”, Ele estava se dirigindo ao caixa.
            Fronrel: Olha minha senhora, se você for tentar me morder, saiba que eu tenho um livro de química em mãos e não tenho medo de usá-lo.
            Caixa: .... .... Chocolate?
            Fronrel: ¬¬. Oh Droga! Minha senhora, quanto deu?
            Caixa: 420 reais e 19 centavos.
            Fronrel: Bem, eu não tenho esse dinheiro tod...
            Um estrondo enorme interrompeu o termino de sua frase. Uma caminhonete havia entrado na loja pelas portas de vidro e batido em um dos caixas. ”WTF?”. Saíram de lá dois zombis.
            Fronrel: ;D. Ok! Choose your destiny.
            Fronrel sacou o taco de basebol e martelou a cabeça de um deles. Quando ia acertar o outro, algo improvável ocorreu: A Cabeça dele explodiu com um tiro de Shotgun. Quando procurou ver quem havia disparado, se surpreendeu ao perceber que na verdade o alvo era ele.
            Fronrel: OO? Oh Droga.
Fronrel se jogou atrás de um balcão pouco antes de uma rajada de balas levarem metade dele, o balcão. Fronrel precisava pensar rápido, nunca havia passado por isso. Well, ele tinha o livro de química.
Fronrel: Hey! Amigo, escuta essa: “100 mols de NaCl foram diluídos em 500 ml de H2O. Calcule a massa de NaCl e a Concentr...
Antes de terminar de ler um tiro ecoou no espaço, só que não contra o balcão que escondia o fronrel. Lentamente fronrel foi se levantando para ver oque havia acontecido. O Cara havia se matado.
Fronrel: Há! Química não é para os fracos de coração meu amigo.
Fronrel olhou ao redor, os pouquíssimos clientes e funcionários que haviam ficado ali estavam com cara de quem tinha visto uma lesma devorando um Gnu.
Fronrel: Caros amigos, eu sei que a química é cruel para a cabeça de muitos, mas relaxem, em poucas horas essa dor de cabeça passará e vocês nem vão mais se lembrar disso.
Pegou discretamente suas compras não pagas e se dirigiu até seu carro. Parou. Olhou para trás. : D. A Caminhonete. \õ/. Passou seus pertencer para a caminhonete, trancou seu antigo carro (nunca se sabe) e seguiu viagem. Próximo passo: Encontrar o Japonês e o Monquei. “É Melhor eu passar naquela cafeteria e pegar outro Cappuccino”.
            Estava tudo correndo bem, até que ele parou em um semáforo. Estava tranquilo até olhar para o lado e ver sua foto estampada em um Outdoor eletrônico.

PROCURADO!
Fronrel
Acusações: Assassinato, Roubo, Declamação pública de Questões de Química e Condução sem carteira.

Fronrel: Oh Droga!
            -------------------------------------------------------------

É isso ai pessoal! Comentem!

4 comentários:

  1. kkkkkkkkkk
    lolololololol


    [Comentário diretamente da sala do coordenador da minha escola... xD]

    ResponderExcluir
  2. Pensei que o gnu fosse um bicho muito mais feio, mas nem é kkk

    ResponderExcluir
  3. http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

    ResponderExcluir